FRETE GRÁTIS para pedidos acima de R$ 1.000,00 - Regiões: Centro-Oeste, Sul e Sudeste. 5% OFF em sua primeira compra com o cupom BEMVINDO
Meu carrinho
0
Seu carrinho está vazio

Estados Viticutultores do Brasil: Rio Grande do Su

Estados Viticultores do Brasil: Rio Grande do Sul, parte I, Garibaldi

Publicado em 10.07.2023 |
Visualizações
17 visualizações

O Rio Grande do Sul responde por 90% da produção nacional, são mais de 600 vinícolas. O estado tem o maior consumidor per capita e é o 3º maior consumidor em volume absoluto dentre os Estados Brasileiros.

A Serra Gaúcha detém 85% da produção nacional em um aglomerado de cidades que engloba Bento Gonçalves, Garibaldi, Pinto Bandeira, Alto Feliz, Flores da Cunha, Farroupilha, Nova Roma do Sul, Caxias do Sul, dentre outras.

Dentre estas cidades, uma merece especial atenção quando o assunto é espumantes, a saber, Garibaldi. 

5347216e e4f4 4d5c a942 a7fbe5828dec

(Nova estrutura de Mercado da Garibaldi)

Fundada na época do Império como Colônia Conde d´Eu, a cidade assume novo nome na era Republicana. A cidade é a única que tem uma vinícola que pode usar o termo Champagne nos rótulos. Trata-se da Peterlongo (https://loja.peterlongo.com.br/). Isso ocorre porque quando a região francesa criou a Denominação de Origem “Champagne”, a empresa e outras então na época no Brasil, já utilizavam o termo para comercializar os seus produtos. Assim, ela conseguiu por decisão do Supremo Tribunal Federal o direito de utilizar o termo Champagne em seus rótulos que fossem feitos por uvas similares as utilizadas na região francesa, a saber, Chardonnay e Pinot Noir.

Além disso, os rótulos que levam esta marca devem também ser fabricados pelo método tradicional de feitura de espumantes, conhecido na França como método champenoise onde as borbulhas são geradas por fermentação nas próprias garrafas.

A vinícola é uma história a parte. Criada pelo imigrante agrimensor italiano, Manuel Peterlongo, o prédio tem ares palacianos e estrutura de pedra. Tachado por louco pela dimensão de seu projeto na época ele vivia na casa que é um dos grandes atrativos turísticos da cidade, ótimos para degustar bons rótulos e tirar fotos inesquecíveis. Além disso, a vinícola tem programação mensal de passar filmes clássicos que hora são reproduzidos dentro da sede da vinícola, ora são reproduzidos no Jardim da propriedade, ou garden como eles gostam de chamar.

4b820d28 d7c5 4180 bc6d 48806f7f0497

Outro empresa histórica é a Cooperativa Agrícola Garibaldi (https://www.vinicolagaribaldi.com.br/). Registrada em 1931, foi a primeira vinícola a fazer um vinho varietal no Brasil. Hoje a cooperativa agrega mais de 400 famílias viticultoras que fornecem as uvas para a vinícola fazer festejados e premiados rótulos. Em 2018 e 2019 foi a vinícola brasileira mais premiada do mundo. Com uma política comercial agressiva e rótulos acessíveis, dispõe de Wine bar e mercado temático na principal avenida da cidade. Vale a pena a visita.

cooperativagaribaldi

Poucas pessoas sabem, mas em 1973, a Chandon (https://www.chandon.com.br/visite) instalou fora do Brasil sua primeira unidade de fabricação de espumantes em Garibaldi. Para isso trouxe para a cidade o famoso enólogo chileno Mário Geisse. Ele não só trouxe técnicas e processos que ajudaram a desenvolver ainda mais o produto na região como posteriormente veio a criar sua própria vinícola, cujo tema falaremos em outro artigo.

Hoje a Chandon é aberta ao público e opera a visitação ao processo de fabricação do espumante em sua sede à beira da BR-470. 

Diante de atrações tão interessantes, vem a pergunta. Onde hospedar-se?

Temos duas grandes dicas. A primeira é o Hotel Casacurta (https://www.hotelcasacurta.com.br/) , cheio de tradições e história. Criado em 1953 por Sebastiano Casacurta na frente da então vinícola dos irmãos Maristas. Foi portanto o primeiro hotel enoturístico do Brasil. Era o hotel predileto dos casais porto alegrenses em lua de mel, assim como foi o hotel escolhido pelo casal João Goulart em sua noite de núpcias. O hotel também conta com piscina de teto retrátil e um lindo bistrô com paredes de pedra.

casacurta fachada

Para quem prefere um esquema mais econômico e moderno, há o Hotel Dall´onder Ski (https://www.dallonder.com.br/garibaldi/ski). Localizado no alto de uma colina da qual se pode ver toda a cidade. Oferece excelente serviço de hotelaria.

hotel dall onder ski garibaldi 77

Para jantar, não há como deixar passar o Primo Camilo (https://www.primocamilo.com.br/), uma cantina típica italiana com ares de adega com os melhores rótulos de vinho da serra gaúcha e um cardápio saboroso e festejado de tirar o fôlego. Imperdível!

design sem nome 17

E para passeio com toda família, há o trem do vinho (https://mariafumacagramado.com.br/) que sai de Carlos Barbosa, passa por Garibaldi e vai até Bento Gonçalves. Trata-se de um trem histórico a vapor muito pitoresco que passa por lindas paisagens à beira do trilho.

     87c2e7fc 6d59 4a29 a63c 961bae13b7c8

E você? Já conhece Garibaldi ou ficou com vontade de conhecer mais desta história? Na próxima semana vamos falar sobre Bento Gonçalves.

Gabriel Mozart é Sommelier WSET3, empresário, economista, jurista e geógrafo.

Siga-nos em
Gabriel Mozart (@gabriel.mozartcrystal) | Instagram
e nosso podcast https://www.youtube.com/@nomundodovinho

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.